10 de julho de 2012

Iluminação residencial pode ser LED sem troca de luminária

O LED é o sinônimo de inovação em iluminação. Mas quando se fala na aplicação do sistema nas residências, logo se imagina que é preciso trocar toda a rede de iluminação junto e que o custo é muito alto. E isso não é verdade. Com as linhas retrofit, é possível instalar o LED com a mesma facilidade das lâmpadas tradicionais e os preços para comprar essa belezinha são cada vez mais baixos.

Já foi provado que o LED possui alta eficiência, proporcionando até 95% de economia de energia. Essa diferença é mais notável quando o modelo é comparado com incandescentes e halógenas. Por exemplo, se trocar uma halógena dicroica por um modelo MR 16 correspondente, é possível reduzir o consumo de 50W para 6W por ponto, sem perder luminosidade no produto de luz amarela e melhorando a luminosidade no modelo de luz branca.

O LED ainda proporciona variedade de temperatura de cor em praticamente todos os modelos residenciais, onde o consumidor pode escolher se deseja a luz “amarela” (2700K ou 3000K) ou a “branca” (6000K ou 6500K).

Ambientes

É preciso considerar alguns fatores para determinar quais ambientes são melhores para cada modelo de LED. Por isso é importante fazer um projeto luminotécnico com um profissional, para aplicar adequadamente a tecnologia e aproveitar o melhor dela.

Cabem algumas sugestões possíveis, muito longe de serem regras. A atividade a ser realizada no ambiente é importante para dar conforto visual, e isso definirá a cor da luz (temperatura de cor) em cada parte dos espaços. A luz amarela (de aproximadamente 2700K) é mais indicada para ambientes aconchegantes, que remetem ao descanso, à tranquilidade. Salas e quartos são perfeitos para isso. Já a luz branca (de aproximadamente 6000K) é mais estimulante, sugerida para locais com mais atividade, como cozinhas, escritórios e banheiros.

Para os modelos A 19, MR 16, PAR 20 e PAR 30, sua iluminação pode ser geral, contanto que seja em vários pontos, ou usada em abajures, embutidos e em iluminação complementar ou de destaque. Esses tipos ficam melhores em salas, banheiros e quartos e cozinhas.

As tubulares são ideais para cozinhas, garagens e despensas.

Veja na imagem abaixo quais são os modelos correspondentes voltados às residências e os benefícios na substituição do LED.

img01

Um agradecimento especial ao leitor Valter Peroza, que nos enviou a dica através dos comentários aqui do blog!

Compartilhe →

4 comentários

  1. Aparecida disse:

    é necessário contratar uma empresa para fazer o retrofit para led em minha residencia?

    • Blog da Lâmpadas Golden disse:

      Olá Aparecida. Se você não for mexer na instalação e fizer somente a troca não há necessidade. Só observe a potencia da lâmpada que usa hoje e quando fôr comprar o LED observe na embalagem qual a potencia equivalente. Por exemplo, onde usava uma incandescente de 6OW você de por um LED de 10W.

    • Blog da Lâmpadas Golden disse:

      Olá Aparecida. Se não for trocar (remover ou acrescer) os pontos não há necessidade. Para o retrofit só preste atenção ao comprar lâmpadas para acertar na equivalência de potência: por exemplo, se usa uma incandescente de 60W a equivalente LED dever ser de 10W. esta informação te de estar na embalagem. Preste atenção também à temperatura de cor: branca para lugares de maior atividade (cozinha, área de serviço) e amarela para locais de descanso (quarto, sala). Compare também o fluxo luminoso (lumens) e opte pelos modelos coma flusxo maior.

    • Blog da Lâmpadas Golden disse:

      Olá Aparecida. Se você não for trocar ou acrescer pontos, pode fazer a troca você mesma. Mas esteja atenta às equivalências de potência e fluxo luminoso. As embalagens trazem esta informação. Como este formulário não permite que eu te envie uma tabela, amanhã o Facebook publicará às 12h30 uma orientação sobre equivalência em retrofit. O link é https://www.facebook.com/goldenlampadas
      Se ainda tiver dúvida, contate a Golden novamente.

Deixar um comentário

Tags html permitidas: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

(obrigatório)