3 de dezembro de 2011

Percepção e criatividade na iluminação de jardins

jddacidadeIluminar áreas externas não é uma tarefa fácil. O cuidado com chuva e vento é preciso para que seu equipamento dure mais e sempre emita uma luz intensa. Em jardins, a iluminação não tem só o papel de demarcar caminhos e proporcionar segurança, mas também deve decorar e destacar as formas à noite.

Assim como na iluminação de qualquer ambiente, para iluminar bem um jardim não há regras. Para Leandro de Barros, especialista em iluminação e coordenador do centro de treinamento da Lâmpadas Golden, existem princípios e o bom senso na utilização da luz para valorizar os espaços e a paisagem. “O projetista deve buscar sempre valorizar o espaço, sem agredi-lo, buscando a naturalidade e a decoração de forma vigorosa e agradável”, disse.

O primeiro passo é o consumidor levar em consideração as informações técnicas de lâmpadas e luminárias junto aos respectivos fabricantes, verificando na embalagem se os produtos são resistentes ao calor, poeira, umidade e chuva, portanto, aplicáveis a áreas externas.

É importante também observar o uso das cores, mesmo que o bom senso e a criatividade sejam fatores decisivos. Luzes verdes, por exemplo, devem dar destaque à copa de árvores ou à vegetação. O clima que se deseja dar ao espaço pode ser influenciado diretamente pela temperatura de cor da lâmpada ou sua cor. Por exemplo, temperaturas de cor mais baixas transmitem um “ar mais sofisticado”. A determinação da cor ou temperatura de cor na iluminação externa depende da necessidade e objetivos que se pretende alcançar com esta iluminação. Se o objetivo é dar destaque, por exemplo, a luz branca é muito indicada.

Tipos de lâmpadas e temperatura

Outro aspecto a que se deve ficar atento é o calor que as lâmpadas emitem, caso coloque uma luminária entre a vegetação para dar o efeito de sombra e vultos – técnica conhecida como backlight, ou efeito selva. As lâmpadas PAR são muito utilizadas em jardins na área externa e interna, principalmente em iluminação de destaque, mas se ficarem muito próximas de algumas espécies de plantas podem interferir no desenvolvimento, ressecando suas folhas e queimando todo o ramo. Uma boa opção para evitar danos como esse é utilizar mangueira LED para alguns detalhes ou balizamento de passagem, pois há pouca emissão de calor desse sistema, o que evita danos na vegetação.

Ainda assim, as lâmpadas PAR são versáteis com relação às cores, e têm um ótimo efeito à média e longa distância. A luz é mais firme e brilhante e ela reproduz com total fidelidade as cores do objeto iluminado.

Outro tipo de lâmpada recomendado é a de vapor metálico. Este modelo é indicado para aplicação na iluminação dirigida em jardins, bem como para potencializar a visualização do paisagismo ou servir como fonte de referência em uma passagem. Devido a sua tecnologia, a vapor metálico não muda as características do objeto iluminado, possuindo um bom índice de reprodução de cor (que vai de 65 a 94), o que ajuda a realçar e destacar os espaços com requinte e estilo.

Luminárias

As luminárias devem ser específicas para a área externa, preparadas para suportar umidade, excesso de calor ou frio, sol, chuva ecalor emitido pelas lâmpadas. No caso de serem embutidas, a preocupação deve se estender para o encaixe do vidro e vedação.

“A escolhado modelo de luminária tem a ver com o tipo de angulação da luz que se deseja ter nos ‘objetos’ iluminados, a distância da fonte ao objeto e, também, o aspecto decorativo”, afirma Leandro de Barros.

Para iluminar todo o jardim de forma uniforme, a iluminação geral pode ser feita com a instalação de postes e refletores. Para dar destaque a arbustos, esculturas ou qualquer outro objeto, a iluminação de destaque é obtida através de luminárias com facho direcionado ou embutidas no solo.

A técnica up light é recomendada para valorizar uma árvore e, através de uma luminária embutida no solo, permite iluminar o tronco e a copa debaixo pra cima. Para proporcionar segurança contra acidentes no jardim, a iluminação de balizamento em passagens e escadas costumam ser feitas através de mini-postes ou embutidas no solo ou nos degraus. A técnica wallwashvaloriza texturas, “lavam” a parede com a luz, através de luminárias direcionadas ou embutidas no solo.

A iluminação em jardins deve passar despercebida durante o dia, para transmitir novas sensações à noite. Para garantir o conforto visual dos usuários, percepção, criatividade e bom senso não podem faltar.

Compartilhe →

Deixar um comentário

Tags html permitidas: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

(obrigatório)