17 de outubro de 2012

Quanto você gastaria com lâmpadas em 14 anos?

Que o LED é caro, (quase) todo mundo sabe. Agora você tem ideia do quanto pode custar se comprar um LED agora e só trocá-lo nos próximos 14 anos? Criamos uma ilustração para mostrar que a economia com consumo e manutenção do LED pode compensar ao longo prazo, em comparação com as tecnologias tradicionais.

O período de tempo considerado foi pensando na duração do LED, que geralmente vai de 25 a 30 mil horas, dependendo do modelo. A diferença é grande quando comparada à fluorescente, que dura 8 mil horas, e é ainda maior quando comparada às 750h de vida média da incandescente. Claro que supomos que a incandescente não estivesse banida até lá, ao contrário do prazo de validade já anunciado pelo Ministério de Minas e Energia que o produto ficará nas prateleiras até 2016.

Em 14 anos, 42 lâmpadas incandescentes seriam trocadas. Já, no caso das fluorescentes, seriam 4 ou 5 lâmpadas, porém esse número pode ser maior por vários motivos, como instalações elétricas com problemas, por exemplo.

A aplicação do LED é prática, você utiliza a rosca E-27 (a mesma das incandescentes e fluorescentes) e todas elas servem para todos os ambientes de uma residência, em luminárias e abajures.

A manutenção residencial da lâmpada abrange somente o custo da substituição, sem considerar a mão-de-obra. As lâmpadas incandescentes e fluorescentes geralmente queimam após o fim da sua vida útil. Com o LED, isso não acontece. Depois das 30.000h de vida, ele somente perde 30% da sua luminosidade (fluxo luminoso).

O LED é uma tecnologia que está em constante pesquisa para melhorar a sua eficiência e que, assim como a tecnologia evolui, na medida em que o LED vai se popularizando, o seu preço abaixa.

Veja na ilustração abaixo com quanto tempo você paga o investimento com o LED e o quanto economiza nos 14 anos de duração dele:

imagem
Compartilhe →

2 comentários

  1. Lia/Fpolis disse:

    Tenho uma incandescente na minha casa que já tem mais de 16 anos. Já está até com vidro escurecido! No apartamento todo só dois lugares ainda têm lâmpadas incandescentes a espera de queimarem para trocar pelas supostas ‘econômicas’ que são as que menos duram…
    Sem falar que as incandescentes podem ser usadas com sensores de presença, dimers, minuterias e as ‘modernas’ não. Nem as de led são feitas para uso em controladores de intensidade ou liga/desliga constante onde precisa ser assim.

    • Nina Lofrese | Blog da Lâmpadas Golden disse:

      Lia, as tecnologias de iluminação têm evoluído muito nos últimos tempos! Antigamente, e, até pouco tempo, lâmpadas poderiam durar muito desde que não muito usadas por dia. Tanto as incandescentes como as fluorescentes podem durar muito quando pouco utilizadas.
      Os Leds hoje já são fontes consideradas as mais eficientes em vários aspectos. Eles não sofrem pela “interferência” de dimmers (com exceção de alguns modelos) , sensores, ou seja, é possível ligar qualquer tipo de led em sensor e alguns modelos podem ser dimmerizados!! Um bom sistema de led, das gerações mais atuais, dificilmente queimam, eles podem chegar nas 50.000h de vida mediana!
      Ficamos a disposição no que for necessário para esclarecer qualquer dúvida.

Deixar um comentário

Tags html permitidas: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

(obrigatório)