15 de julho de 2013

Segurança na iluminação pública

A noite das grandes cidades é cheia de atividade. São Paulo, por exemplo, é conhecida como a ‘cidade que nunca dorme’, por ter estabelecimentos abertos para todos os gostos. Mas seria impossível ter uma vida noturna se não houvesse iluminação pública. A nossa segurança para chegar do trabalho e ir se divertir está condicionada a uma boa luminosidade nas vias, nas praças, nos parques e nos monumentos. Os índices de criminalidade diminuem em regiões bem iluminadas também.

As principais luminárias presentes hoje nas ruas utilizam lâmpadas de vapor de sódio, vapor de mercúrio e vapor metálico. As lâmpadas de vapor de sódio são as mais comuns, pois possuem vida mediana e eficiência razoáveis, porém pecam no índice de reprodução de cores (IRC), o que prejudica a visualização das cores, ainda mais com a tonalidade amarela da luz.

A sensação de ter pouca luz, ou de estar meio escuro mesmo sob uma iluminação com lâmpadas que emitem muito fluxo luminoso se explica pela percepção da ótica humana. A lâmpada de sódio, predominantemente usada na iluminação pública, tem sua luz concentrada nos espectros amarelos, que são melhores reconhecidos pela nossa retina em situações com alto índice de luminosidade, processo cientificamente conhecido como visão fotópica. No caso do ambiente noturno, em que a luminosidade não está presente, o ser humano assimila a luminosidade de forma diferente, uma adaptação conforme a sensibilidade dos níveis de luz. Sob somente à luz da lua e das estrelas, a visão humana elimina praticamente todo o espectro amarelo da luz e reconhece melhor os espectros azuis e verdes, o que é chamado de visão escotópica. Na iluminação pública das grandes cidades acontece a visão mesópica, onde os níveis de iluminação são baixos quando comparados com a luz do dia, mas não são ausentes quando comparados à penumbra da noite. Tecnologias como vapor metálico e LED se encaixam melhor nestes dois últimos aspectos, quando temos pouca ou quase nenhuma luz. A luz branca, que tem o espectro de cores melhor distribuído, permite que a percepção da luz pela visão seja bem maior.

* Temperatura de cor do LED é versátil principalmente para iluminação decorativa e de monumentos, mas quando se trata de iluminação pública geral, a luz branca (6.000K) é predominante.

* Temperatura de cor do LED é versátil principalmente para iluminação decorativa e de monumentos, mas quando se trata de iluminação pública geral, a luz branca (6.000K) é predominante.

Muito se fala sobre o LED para iluminação pública, que possui muitas vantagens em relação às outras tecnologias: baixo consumo de energia, alta eficiência luminosa, e vida mediana. A luminária LED dura muito mais do que as outras, aproximadamente 50 mil horas, o que diminui custos com substituição e com equipe de manutenção. Outro diferencial é o alto índice de IRC, 80, o que ajuda, tanto os pedestres como os motoristas, a reconhecer as cores dos semáforos, perceber buracos e desníveis no caminho, etc.

Esses são alguns fatores técnicos que ajudam a diminuir a insegurança à noite nos locais públicos. Na prática, se você precisa abastecer o carro, vai ter muito mais receio de parar em um local mal iluminado, mas se o posto de combustíveis tiver uma iluminação ideal, ele pode até diminuir a periculosidade do entorno.

A substituição da iluminação do posto de combustíveis reduziu em 71% o consumo de energia e é o ponto mais iluminado do entorno. Foto: Rubens Campo.

A substituição da iluminação do posto de combustíveis reduziu em 71% o consumo de energia e é o ponto mais iluminado do entorno. Foto: Rubens Campo.

Um bom projeto luminotécnico garante uma boa iluminação. Além da escolha da tecnologia, sombras entre fachos, altura dos postes e o posicionamento das luminárias são fatores que devem ser cuidadosamente projetados. A praça Buenos Aires, por exemplo, possuía postes de 12 metros com vapor de sódio que ficavam na altura da copa das árvores, o que não produzia luminosidade efetiva para os visitantes do parque. O projeto de remodelação substituiu esses postes por luminárias de 5 metros de altura, o que não atrapalha a vegetação das árvores nem a fauna local e foca a iluminação nas vias de circulação dos pedestres.

 

A troca dos postes aumentou a luminosidade no parque e promoveu uma economia de cerca de 50%. Foto: Rubens Campo

A troca dos postes aumentou a luminosidade no parque e promoveu uma economia de cerca de 50%. Foto: Rubens Campo

Compartilhe →

Deixar um comentário

Tags html permitidas: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

(obrigatório)