2 de fevereiro de 2012

Selo Nova ENCE filtrará qualidade de lâmpadas a partir de julho

Etiqueta ENCE é obrigatória para LFC com reator integrado a partir de 1 de julho de 2012.

Etiqueta ENCE é obrigatória para LFC com reator integrado a partir de 1 de julho de 2012.

O mercado de lâmpadas fluorescentes compactas deve mudar agora em 2012. A Portaria do Inmetro n° 489, de 08 de dezembro de 2011, prevê que os fabricantes e importadores de lâmpadas fluorescentes compactas com reator integrado se adequem às novas exigências de eficiência energética. A Nova Ence, como a regra é chamada, prevê a renovação dos padrões das lâmpadas nos quesitos: vida mediana, fator de potência, eficiência luminosa, manutenção da eficiência luminosa e segurança elétrica.

O Inmetro estabeleceu prazos para as empresas adequarem seus produtos à nova norma: a partir de 1 de julho de 2012, os importadores e fabricantes não poderão produzir lâmpadas fora dos requisitos; a partir de 01 de janeiro de 2013, eles não podem comercializar esses produtos no mercado nacional e a partir de 01 de julho de 2013 os comerciantes atacadistas e varejistas só poderão comercializar produtos sob a nova norma.

Os fabricantes e importadores devem obrigatoriamente submeter aos laboratórios indicados pelo Inmetro suas amostras atendendo às novas exigências, se os produtos estiverem aprovados deverão afixar a etiqueta ENCE no produto.

São alguns dos requisitos: a vida mediana de qualquer modelo de LFC com reator integrado não pode ser menor que 6.000h e a lâmpada não pode perder mais do que 20% da sua eficiência energética quando completar 2.000h de vida.

Os produtos mais eficientes em cada categoria de lâmpadas fluorescentes compactas com reator integrado à base poderão utilizar, opcionalmente, o selo PROCEL, concedido pela Eletrobras. Os requisitos para o PROCEL também deverão ser atendidos.

Essa mudança garante ao consumidor mais qualidade no produto comprado, segundo Leandro de Barros, consultor de produtos da Lâmpadas Golden. “Passa-se a ter uma concorrência mais justa e igualitária, tirando do mercado produtos de má qualidade“, avalia o especialista. Barros também afirmou que a empresa está trabalhando para se adequar às normas desde 2010.

Depois do produto no mercado, a fiscalização do Inmetro periodicamente avaliará as lâmpadas, para assegurar que os produtos disponíveis no mercado tenham a mesma qualidade aprovada em laboratório. O comércio que vender lâmpadas sem a etiqueta de identificação de eficiência energética sofrerá autuação, tanto o fabricante ou importador quanto o estabelecimento. O produto reprovado também não pode ser fabricado, importado ou comercializado.

Compartilhe →

Deixar um comentário

Tags html permitidas: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

(obrigatório)